..: Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus :..


Redes Sociais

  • Facebook
  • Youtube

Goiânia, 15 de Novembro de 2018

Notícias

Vivemos numa sociedade pornográfica

Vivemos numa sociedade pornográfica

 

As pesquisas têm mostrado o mal avassalador que a pornografia tem feito na vida das pessoas. Existe hoje uma verdadeira indústria da pornografia que movimenta bilhões de reais, envolvendo homens e mulheres, e fazendo deles verdadeiros objetos de consumo sexual. É um verdadeiro flagelo atual que destrói vidas humanas de todas as idades. A indústria pornográfica não é somente a produção de filmes, inclui toda uma cadeia de negócios: brinquedos, produtos de software, companhias de cartão de crédito, provedores de internet, companhias de cabo e cadeias de hotelaria.

 

 

Para o consumidor da pornografia, não há outro objetivo senão o prazer pessoal e egoísta, à custa da degradação alheia. Um efeito grave da pornografia é a dependência que ela causa, e o viciado quer sempre algo novo, mais excitante; necessita cada vez mais de material raro, grotesco e desviado. E a triste confirmação disso tudo é que, para muitos, se inicia como uma simples curiosidade, terminando em uma obsessão destrutiva, porque a pornografia distorce de modo significativo as atitudes e percepções sobre a natureza de sexualidade, da realidade social: uma percepção exagerada do nível de atividade sexual da população em geral e uma estimativa que aumenta a probabilidade da atividade sexual pré-matrimonial e extramatrimonial. Também gera uma imaginação do predomínio de perversões como sexo em grupo, a bestialidade e a atividade sadomasoquista. O vício da masturbação também está muito ligado à pornografia.

 

 

Enfim, o sexo tomou conta de todos; está obcecando o mundo. Uma espécie de religião que tem seus missionários pagos, seus templos e seus ritos. Sua ostentação está assumindo formas inacreditáveis na pornografia e na mídia. De diversas instâncias se denuncia esse comércio, mas tal espécie de “sagrada aliança” entre dinheiro e sexo dá lucro e muito lucro, e segue adiante impune. Olhe ao redor, nem precisa ir muito longe. A imprensa que mais dá retorno é também aquela que é mais picante em matéria de sexo. O resultado é que estamos poluindo até a saturação da própria vida. Essa idolatria ao dinheiro e ao sexo é uma escravidão, uma degradação do próprio homem. Crianças e jovens são feridos na sua inocência, na sua simplicidade; morrem em sua juventude, visto que “a impureza e a juventude excluem-se reciprocamente”.

 

Todos, mais ou menos, estamos envolvidos, alguns como agentes, outros por conveniência, e outros, ainda, por anuência, nesta nova idolatria, que é a pornografia. Além de tudo, como todos os ídolos, a pornografia é falsa e mentirosa, porque não dá nunca a felicidade que promete.

 

 

A pornografia é uma grave violação do sagrado direito que toda pessoa tem à privacidade de seu corpo. Cada pessoa tem o direito de não expor sua nudez e de não ser vista com desejos maliciosos, como também tem o direito de não ser assediada. É, sobretudo, uma grave ofensa a Deus, porque o corpo do cristão é templo do Espírito Santo. Por isso, São Paulo disse: “qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o impuro peca contra o seu próprio corpo”.

 

O pior de tudo isso é que, diante dos males da pornografia, não existe uma sincera vontade de reverter o problema por parte da maioria dos governos e também pelo próprio povo que se entrega às suas paixões como o cavalo e o burro que não têm entendimento.

 

 

Sem sombra de dúvidas, a pornografia se tornou uma epidemia e é, hoje, caso de saúde pública, que coloca em risco a vida de nossas famílias. Qualquer pessoa honesta e de bom juízo consegue perceber algo profundamente perverso em um material que induz à violência, ao desprezo pelo semelhante, ao prazer a qualquer custo. Através dos anúncios comerciais, filmes e sites eróticos, estamos nos tornando uma sociedade pornográfica. Como podemos observar, a pornografia destrói a pessoa, rouba-lhe o tempo e a vida. Então, para vencê-la é preciso a decisão de deixar este mal e contar com a graça de Deus.

 

 

Pe. Luiz Augusto Ferreira da Silva

Pároco Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus

 

 

Autor: Paroquia Santa Teresinha do Menino Jesus

Comentários

Subir


Facebook
Telefone: (62) 3584-3843
Av. Circular, Qd. E, Lt. E-1 – Setor Expansul - Aparecida de Goiânia/GO - Brasil Cep 74986-250
Copyright © 2018 - Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus. Todos os direitos reservados.